quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Protógenes ameaça processar Dick Vigarista.


Ao saber da ameaça, Mutley não conteve sua risada
ACME - Animado com a repercussão dada à sua cruzada moral contra o filme TED, o deputado Protógenes Queiroz (PC do B) anunciou novas medidas para assegurar a retidão do comportamento de ursinhos de pelúcia falantes, personagens de desenho animado e fantoches. "Optei pela carreira de delegado porque, quando criança, ficava indignado com a violência impune de Tom & Jerry. Infelizmente, nem toda criança desenvolve o senso de justiça desde cedo", explicou.


Revoltado com a pouca vergonha que há décadas corrói a credibilidade da Corrida Maluca, Protógenes prometeu punir exemplarmente Dick Vigarista. Na sequência, disse que pediu mandado de busca para encontrar Wally, que proibirá Pica-Pau de descer as cataratas do Niágara em um barril e que vetará a exibição de Galinha Pintadinha por todo o país. "Há canções problemáticas ali. Atirei o Pau no Gato é um estímulo à agressão dos animais, Se Essa Rua Fosse Minha estimula o desejo perverso pela propriedade privada desde cedo".

Ao cair da tarde, o deputado anunciou que sua busca por justiça será ampliada para os jogos eletrônicos. "Angry Birds estimula o terrorismo", disse.

Chegou a hora.


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Menáge à trois, vira união estável.


Convidada de ménage à trois ganha na justiça o reconhecimento de união estável
Ana Beatriz Dalfonso, 23 anos, estudante de medicina e moradora do bairro de Santa Teresa no Rio de Janeiro ganhou na justiça o direito de ter seus dois anos de relacionamento sexual/afetivo com o casal Jussara Lourdes Marinho e Pedro Henrique Marinho , ambos de 42 anos, reconhecido como união estável.
Ana Beatriz conheceu o casal Marinho em uma casa de swing em março de 2008 e desde então passou a dividir a cama do casal em experiências eróticas cada vez mais freqüentes e ousadas, até chegar ao ponto dela ser convidada para morar na cobertura que o casal possui em Ipanema.
O casal Marinho rompeu relações com Ana Beatriz em outubro de 2010 ao descobrir que a mesma estava se envolvendo com a filha do casal de apenas 17 anos. Ana Beatriz se defende dizendo que com a menor M.R.M. ela de fato possuía uma relação amorosa que extrapolava os limites exclusivamente eróticos que mantinha com o casal.
Oswaldo Nepomuceno Bryto, juiz da 13ª Vara de Família do fórum central do Rio de Janeiro, aponta em sua sentença que ‘o casal Marinho em concordância plena levou a jovem para dividir seus desejos, afetos e cotidianos. Custeou despesas médicas, acadêmicas e estéticas desta menina que trocou seu conto de fadas no interior pela aventura erótica de um casal de pervertidos. Nada mais justo que agora possa herdar o patrimônio construído durante os dois anos em que sua sexualidade foi tomada de forma terapêutica por esta família profanada’.
Quando desejar viver aventuras eróticas contrate profissionais, o amadorismo deste mercado está causando prejuízo e constrangimentos às famílias de bem de nosso país. (cavalewirodotemplo)
COMENTO: Em sendo verdadeiro, o que reporta o texto acima, pelo menos para a Justiça Brasileira, "Sacanagem é coisa séria".

Dilma na ONU.


O peso da idade.


sábado, 22 de setembro de 2012

O árabe.


    O árabe no banco...
cid:011f01cab1e0$842ddfb0$1164640a@comunico
O árabe Salim chega ao banco e fala para o gerente:

- Eu quer fazê uma embréstimo!


Surpreso, o gerente pergunta para Salim:

- Você, Salim, querendo um empréstimo? De quanto?


- Uma real.

- Um real? Ah! Isso eu mesmo te dou.

- Não, não! Eu querer embrestado da banco mesmo! Uma real!

- Bem, são 12% de juros, para 30 dias...

- Zem broblema!Vai dar uma real e doze zentavos. Onde eu assina?

- Um momento, Salim.O banco precisa de uma garantia. Sabe como é, são as normas...

- Bode begá meu Mercedes zerinha, que ta lá fora e deixá guardado no garagem da banco,até eu bagá a embréstimo.Ta bom azim?  

cid:012001cab1e0$842ddfb0$1164640a@comunico 

- Feito!

Chegando em casa, Salim diz para Jamile:

- Bronto, nóis já bode
viajá bra Arábia zem breogubazon.
Conzegui dexar a Mercedes num garagem do Banco
por 30 dias, e eu só vai bagá doze zentavos!

Picareta, Safado e Transparente disputam as eleições 2012


Irineu Machado - Do UOL, em São Paulo

Você votaria no candidato Picareta? Elegeria um candidato Safado? Ou na hora do voto opta por quem é Transparente? Calma lá, isso não é um texto de panfletagem política nem um manifesto pelo voto consciente, por mais cabíveis ou justos que esses fossem para a época. Picareta, Safado e Transparente, creia, são nomes de registro de alguns dos candidatos que os eleitores terão como opção nas eleições para prefeito e vereadores nas 5.568 cidades que vão às urnas no próximo dia 7 de outubro.
O uso de apelidos é permitido pela legislação eleitoral no registro da candidatura, e quem escolhe como prefere ser apresentado aos eleitores são os próprios candidatos. A ferramenta de busca por candidatos no site do UOL Eleições, alimentada por dados da base do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), pode ser uma diversão para o internauta. O cardápio é vasto entre os mais de 480 mil registros de candidaturas para prefeito, vice e vereador registradas no tribunal.
Os candidatos citados no início e no decorrer deste texto são reais. Eles chamam a atenção, especialmente, pelo fato de que adotam apelidos que muitos políticos não gostariam de ver associados a seus nomes, ou que poderiam ser classificados como "bullying" caso não fossem as escolhas dos próprios candidatos. Faça uma busca, por exemplo, por palavras como picareta ou safado na base de dados de candidatos e olha o que vem:

ELES ESTARÃO NAS URNAS

  • Divulgação
    Evangelista Safado, 60, do PSB
  • Divulgação
    Picareta, 50, do PTB
  • Divulgação
    Clara Transparente, 47, do PSC
Picareta, candidato a vereador pelo PTB em Bicas, município de pouco mais de 13 mil habitantes no sudeste de Minas Gerais. Paulo Murilo de Oliveira, 50, é o nome de nascimento de Picareta.
Safado,  apelido de Evangelista Ricardo, comerciante em Divinópolis (MG) que quer ser eleito vereador pelo PSB, na coligação "Renasce a Esperança". Ele optou por registrar para a urna o nome com o apelido: Evangelista Safado.
Não são só os nomes supostamente negativos que se destacam. A busca por um termo como "transparente", algo que se espera de políticos, por exemplo, apresenta uma candidata: 
Transparenteadjetivo que Clara Lucia de Andrade escolheu para associar ao nome, na esperança de dar "mais força" à sua candidatura.Clara Transparente concorre pelo PSC em Uberlândia (MG).
Bancada do terror
A busca por nomes estranhos aguça a curiosidade. Soltar um pouco a imaginação proporciona descobertas inusitadas no banco de dados de candidatos. Fossem todos da mesma cidade e conquistassem votos suficientes para uma cadeira no Legislativo municipal, poderíamos ter uma "bancada do terror" em alguma Câmara Municipal:VampiroFantasmaChupa-CabraMonstroZumbi,Bruxa e Morto-Vivo, todos são candidatos. Uma imaginária "bancada do folclore nacional" também teria seus representantes: Saci-Pererê,LobisomemCurupiraCaipora
A bancada dos bichos, então, seria fortíssima: temGatoCachorroGirafaBaleiaPapagaio e atéDinossauro.
Se o eleitor quiser um candidato mais personalizado, pode ficar com o Original ou com oDiferente. Se não fizer muita questão, pode escolher o Genérico.
E quem poderia imaginar como representantes no parlamento a Maria Gostosa e o Raimundo Gostoso? Não é aconselhável adotar a aparência como critério principal de escolha de alguém que vai tomar decisões pelo destino dos moradores da cidade, mas, se este for o caso, há como escolher entre o Feio e o Bonito.
Para sorte dos eleitores, não tem candidato Ladrão nem Corrupto.
O que diz a legislação
O nome usado na urna eletrônica, segundo o artigo 30 da Resolução 23.373/2011, que dispõe sobre a escolha e o registro de candidatos nas eleições, pode ser o apelido ou o nome pelo qual o candidato é mais conhecido. As únicas restrições são: não ultrapassar 30 caracteres, não estabelecer dúvida quanto à identidade do candidato, não atentar contra o pudor e não ser "ridículo ou irreverente". Os nomes citados nesta reportagem são de candidaturas deferidas pela Justiça Eleitoral. Portanto, são nomes que não foram considerados ridículos ou irreverentes.
Ok, há muita gente que associa o termo "picareta" a pessoas aproveitadoras, que usam meios condenáveis para obter o que desejam (o dicionário Houaiss classifica esta definição como regionalismo), e há quem goste de dizer por aí que políticos são "picaretas". Picareta, acima de tudo, é uma ferramenta de trabalho, uma peça de ferro com duas pontas aguçadas, que se prende a um cabo de madeira e serve para escavar a terra, arrancar pedras etc. Usar apelidos como este e Safado, se são as maneiras pelas quais os sujeitos são conhecidos, parece justo. Mas devem ter passado pelo crivo de algum escalão da Justiça Eleitoral para que não fossem considerados irreverentes, no mínimo. Transparente, adjetivo da moda em política, também não infringe a lei.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Silêncio providencial.



O filho dirige-se ao pai e desabafa:
-"Pai, vou me divorciar. Há seis meses minha mulher não fala comigo".
O pai fica em silêncio, bebe um gole de cerveja e diz:

-"Pensa bem, meu filho, mulher assim é difícil de arranjar".


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Pronúncia Difícil...

O homem entrou no consultorio do psiquiatra com ar preocupado.

- Que o traz por cá? - perguntou o médico.

- Sr. doutor, a minha mulher quer divorciar-se de mim porque diz que está farta de eu não conseguir dizer frederico.

- Como assim?

Diga lá fre-de-ri-co, pediu o médico.

- Frederico, respondeu de pronto o homem.

- Ora, disse o médico, o senhor diz frederico perfeitamente. Vá lá em paz e diga à sua mulher que ela é que não parece estar boa de ouvido.

O homem saiu contentíssimo do consultório. Chegou a casa, subiu as escadas a quatro e quatro, meteu a chave à porta e exclamou:

- Mulher, o médico diz que eu estou ótimo e sei dizer "frederico" perfeitamente. Vamos celebrar: vai ao frederico e traz-me de lá uma cervejinha bem gelada que estou cheio de sede!

Fome de voto.

Charge de Clayton, O Povo (CE)